Marketplace e o Varejo eletrônico

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Email -- 0 Flares ×

Marketplace e o Varejo eletrônico

Algumas pessoas alegam que o varejo eletrônico não é sustentável no cenário nacional, afirmam também que deveriam ser realizadas grandes mudanças para que o varejo eletrônico dê lucro aos seus proprietários.

O fato é, que grandes empresas varejistas, como Amazon e Alibaba, estão lucrando ao mudarem sua área de atuação para o formato digital.

Grandes plataformas digitais, chamadas Marketplaces, estão surgindo para prover uma ferramenta onde várias empresas do mesmo segmento possam efetuar a comunicação, o relacionamento com os consumidores e a venda online. Basicamente, as empresas possuem um cadastro na plataforma e podem usar os vários serviços oferecidos pelo marketplace, entre eles: integração com e-commerce, contrato com os Correios, emissão de nota fiscal, controle de estoque, gestão de clientes, entre outros.

Os proprietários do marketplace geralmente cobram comissões sobre as vendas realizadas pelas empresas que aderem ao serviço e em contrapartida fazem investimentos no desenvolvimento de ferramentas digitais e em publicidade/marketing, além de procurar baratear os custos com frete.

Vantagens do Marketplace para o varejo

Empresas varejistas podem se beneficiar deste modelo pelo simples fato de aumentar a visibilidade dos produtos vendidos, sem falar da redução de custos de se manter um website ou CRM próprio, dispensando as despesas com plataforma.

Outro ponto muito importante deste modelo é baixar drasticamente o custo com estoque e armazenagem, já que o comércio é feito pelo meio digital, a empresa não precisa armazenar seu estoque em depósitos ou estocar grandes quantidades de produtos, ela simplesmente pode diminuir seu estoque e produzir/armazenar somente após o marketplace ter feito a venda.

Leia também Revolução digital do varejo: e-commerce para supermercado.

E que tal diminuir os intermediários?

Por meio do marketplace as empresas que produzem aproximam-se dos consumidores, permitindo a venda direta para o consumidor final ou para outras empresas. O varejo eletrônico permite o acesso do consumidor a qualquer empresa ao custo de um adicional de frete.

Exemplos de Marketplaces no Brasil

Fique Atualizado

Exemplos de Marketplaces Internacionais

Conclusão

Sabe-se que as 10 maiores lojas detêm 80% do mercado varejista, portanto, é um mercado muito concorrido. É preciso encontrar algum nicho de mercado para diminuir a concorrência e ter seu espaço.

O baixo custo para adentrar no varejo eletrônico é um chamariz para empreendedores, mas é necessário muita cautela já que a maioria das empresas “quebra” por seus proprietários não terem experiência em atividades comerciais.

Gostou do artigo? Ficou com dúvidas? Tem outras sugestões?

Deixe seu comentário ou sua dúvida para podermos discutir sobre o assunto!

Forte Abraço e até a próxima!

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Email -- 0 Flares ×

Atua na área digital desde 2008, focado em empreendedorismo, projetos de Marketing Digital e Desenvolvimento de soluções web e mobile. Adora desafios e está sempre atento a novas tecnologias e possibilidades.